Next Seguros
nossas matérias

Onde fazer intercâmbio e curtir a natureza?

Poucos lugares no mundo conseguem unir experiências, como estudar inglês, trabalho voluntário, safari, vida ao ar livre e prática de esportes radicais na mesma semana. Austrália, Estados Unidos e Nova Zelândia, por exemplo, são boas opções e muito procurados para tais experiências, mas a África do Sul bate todos estes quando o assunto é o melhor custo-benefício. Por isso, cada vez mais brasileiros escolhem o país para fazer intercâmbio.

10 razões para escolher o intercâmbio na África do Sul

1.      A moeda local (Rand) é desvalorizada perante o Real;

2.      Não tem burocracia para quem fica até três meses, e é simples estender o visto de estudante por mais tempo;

3.      Pode trabalhar. Basta tirar o visto específico para sua área;

4.      As ofertas de programas de voluntariado abrangem diversas setores;

5.      O povo é alegre, amigável e há mais semelhanças do que diferenças com os brasileiros;

6.      Tem voos direto de São Paulo com duração de oito horas;

7.      As paisagens, fauna e flora são espetaculares;

8.      Centenas de estudantes e mochileiros percorrem o país de costa a costa diariamente. Ou seja, só viaja sozinho quem quer;

9.      O clima é parecido com a Região Sul do Brasil, sem invernos longos e neve;

10.  A colonização, primeiro holandesa e depois britânica, deixou a herança da língua inglesa e excelentes escolas de idiomas.

E qual o melhor lugar? Para imergir na África original, deve pegar o litoral rumo ao leste ou percorrer o interior do país. Johanesburgo e Pretória são cosmopolitas, recebendo imigrantes do mundo todo desde a descoberta de ouro na região. E a Cidade do Cabo é a mais procurada por intercambistas do mundo todo. Quem escolhe a segunda maior cidade da África do Sul percebe a influência europeia e, por vezes, se sente no Rio de Janeiro. Exceto pelo mar muito gelado, as duas cidades são maravilhosas por suas paisagens e expressões culturais.

O que saber antes de ir

África do Sul não exige seguro viagem, mas os melhores tours só aceitam o passageiro que apresentar o número da apólice do seguro. E quem opta pelas aventuras (trilhas, bungee jump, cavalgadas e outros) será obrigado a assinar um termo, liberando qualquer responsabilidade da atração em caso de acidente. Placas dizendo que o risco é por sua conta estão por toda parte e alertam sobrem importância de estar assistido por um bom seguro.

O idioma mais falado, as sinalizações de rua, os cardápios e os jornais estão em inglês. Pois é bom saber que o país tem onze idiomas oficiais, e é comum ouvir os locais se comunicando em zulu, africâner e outros impossíveis de compreender.

Os territórios mais ao sul do continente africano são banhados pelos oceanos Índico e Atlântico e ficam bem longe da linha do Equador. Logo, não se iluda com as praias lindas convidando ao mergulho, são belas, mas o choque térmico acontece ao pisar na areia molhada. Na parte do Oceano Índico, é um pouco mais agradável.

A culinária sul africana é muito parecida com o que se come no Brasil, com algumas diferenças, como a influência britânica do fish and chips, e carnes de caça, como o springbox. Basicamente, pode ser definida pelo excesso de frituras, frutos de mar deliciosos e carnes saborosas.

Quanto à segurança, é preciso estar atento exatamente igual quando se anda pelo Brasil. Também têm assaltos, violência, furtos, e os turistas são os mais visados. Tem gente pedindo dinheiro, moradores de rua e pivetes andando em bandos. Mesmo em grupo, o recomendado é pegar táxi para evitar ruas escuras e pouco movimentadas, principalmente à noite nas grandes cidades.

É possível viajar por todo o país em vans e ônibus especiais para o turista ou se sentir um local. Sul africanos viajam muito pegando carona, em bicicletas ou em vans lotadas. Em geral, quem viaja pela África do Sul visita as duas maiores cidades, Johanesburgo e Cidade do Cabo e o Kruger Park. Muitos alemães e poucos holandeses já descobriram a diversidade do resto do país e estão por toda parte até chegar ao litoral, quando europeus diversos marcam presença.

Outras matérias

Veja todas as matérias