Dicas para sua primeira viagem à Hungria

Dicas para sua primeira viagem à Hungria

6 Maio, 2019 0 Por Next Seguro Viagem
Spread the love

Tem o maior lago da Europa Central

Com quase 80 quilômetros de extensão e cobrindo uma área de quase 600 quilômetros quadrados, o Lago Balaton é tão grande que é geralmente chamado de “Magyar Tenger” ou o Mar Húngaro.

O lago é um destino de férias favorito para os húngaros – a costa sul, e especialmente a cidade de Siófok, é uma espécie de local de festa.

O festival anual de música de verão Balaton Sound é realizado na cidade vizinha de Zamárdi.

Famílias com crianças preferem o lado norte relativamente calmo.

Maiôs são necessários

A Hungria tem água quente. Existem mais de 1.000 nascentes naturais no país (e o maior lago termal do mundo em Hévíz, perto do Lago Balaton), com 118 só em Budapeste.

No lado Peste do rio na capital, os banhos termais Széchenyi se posicionam como o maior complexo balnear termal da Europa.

Os húngaros são inteligentes

O país tem um dos mais altos rankings, per capita, para os ganhadores do Prêmio Nobel, com 13 vencedores desde 1905 (para a física), e o mais recente, em 2004 (para a química).

Os húngaros também inventaram muitas coisas, desde a caneta esferográfica (László Bíró) até a ciência da computação (János Neumann).

Franz Liszt

O compositor é tão importante na Hungria que o Aeroporto Internacional de Budapeste foi renomeado em sua homenagem em seu aniversário de 200 anos, em 2011.

O motivo? A aldeia em que nasceu era húngara na época (e hoje é austríaca), e ele sempre se descreveu como húngaro.

Goulash não é o que você acha que é

O prato nacional é o gulyás, que você provavelmente conhece como goulash.

O que é servido nos restaurantes ocidentais, no entanto, é geralmente um ensopado, enquanto o que você recebe na Hungria é uma sopa.

Todos alegam ter a melhor receita, com um festival anual de goulash realizado todo mês de setembro em Szolnok (120 quilômetros a sudeste da capital, no centro da Hungria).

A versão em um dos restaurantes mais conhecidos de Budapeste custará cerca de US $ 17.

Os húngaros são viciados em um pó vermelho

Há um elemento da cozinha húngara que está presente em todas as cozinhas, desde a da vovó até a do primeiro restaurante com estrela Michelin do país: páprica.

A pimenta em pó é usada para apimentar quase todos os pratos – especialmente goulash.

Copos de cerveja tinindo é desaprovado

Quando os húngaros perderam a Revolução de 1848-49 e a Guerra da Independência, os austríacos executaram 13 dos mais antigos generais húngaros, e supostamente celebraram bebendo cerveja e tilintando suas canecas.

Os húngaros prometeram não tilintar nos copos de cerveja pelos próximos 150 anos. Embora esse período tenha terminado em 1999, a “proibição” ainda é amplamente observada, especialmente entre pessoas mais idosas. Se não quer problemas não faça o “tim-tim” com os copos.

Obs.: Não há problema em tilintar copos de vinho.

Tokaji é o vinho dos reis

O Tokaji é tão bom que Luís XIV da França o chamou de “Vinho dos Reis, o Rei do Vinho”.

Se você quiser levar uma garrafa do vinho de sobremesa doce para casa, você encontrará na maioria das lojas de vinhos pelo país.

O Tokaji é medido pela sua doçura, mostrado pelo número de “puttonyos”.

Um bom exemplo do vinho cor de topázio é Tokaji Aszú – procure por quatro puttonyos ou mais (a escala vai até seis).

O melhor Tokaji (também mais raro e mais caro) é o estilo Essencia.

Os húngaros são loucos por esportes

Os húngaros adoram esportes e estão extremamente orgulhosos do fato de que o país tem uma das mais altas pontuações de medalhas olímpicas (482 entre os jogos de inverno e de verão).

Eles continuam se saindo bem em esgrima, natação, ginástica e caiaque, mas a equipe masculina de pólo aquático é excepcional – você encontrará húngaros reunidos em torno de televisões em todos os lugares quando estes esportistas estão jogando.